Confira a lista de presos na Operação Apocalipse




9924Uma operação séria, apolítica e sem denuncismo.  Foi assim que o secretário de Estado de Segurança, Defesa e Cidadania, Marcelo Bessa, classificou a Operação Apocalipse (que na Bíblia significa revelação e fim), realizada para o combate à corrupção e ao crime organizado em Rondônia, a exemplo do que ocorreu recentemente no Departamento Estadual de Trânsito de Rondônia (Detran), resultando em 67 prisões e mais de 100 buscas e apreensões.

A Apocalipse foi iniciada em 2011 pelo Grupo de Combate ao Crime Organizado (GCCO) da Polícia Civil de Rondônia, o Ministério Público do Estado (MPE) e o Tribunal de Justiça (TJRO), e que teve um dos desfechos nesta quinta-feira (4) com o afastamento por 15 dias (prorrogável por mais 15) de cinco deputados estaduais (Hermínio Coelho, presidente da Assembleia Legistativa; Cláudio Carvalho, Adriano Boiadeiro, Jean Oliveira e Ana da 8), a prisão preventiva do vereador de Porto Velho, Jair Monte; e prisão temporária de dois vereadores também da Capital, Marcelo Reis e Eduardo Rodrigues de um total de cinco que integram a lista de 98 pessoas investigadas e 27 empresas de Rondônia, Acre, Mato Grosso, Rio Grande do Norte, Distrito Federal, São Paulo, Amazonas e Paraná. Outros dois vereadores da Capital tiveram cumprimento de mandado de busca e apreensão em suas residências e gabinetes, são eles: Cabo Anjos, Pastor Delso.

Em coletiva à imprensa com a participação do diretor-geral da Polícia Civil, Pedro Mancebo, e os delegados envolvidos na ação, Bessa explicou que a operação teve início com a apuração de ações criminosas relacionadas ao tráfico de drogas e financiamento para o tráfico, seguindo com vários desdobramentos criminosos e pessoas articuladas para a prática de delitos, como falsificação de documentos, estelionato, peculato, corrupção ativa e passiva, tráfico de influência, prevaricação, quebra de sigilo funcional, golpes com cartões de crédito e formação de quadrilha, inclusive armada, acumulando um patrimônio de R$ 33,5 milhões, entre 200 veículos (R$ 7,5 milhões), 25 imóveis (R$ 22,5 milhões) e cotas de empresas no valor de R$ 3,5 milhões, dinheiro esse que na prática representa prejuízo para os cofres públicos.

As investigações, que geraram 229 medidas cautelares, entre mandados de busca e apreensão, prisões preventivas e indisponibilidade de bens cumpridos nesta quinta-feira (5) e mais oito Estados, apontaram núcleos interdependentes na quadrilha, que agiam conforme os objetivos. No caso do financeiro, a ação se dava com a abordagem a lideranças com interesse político para financiamento da campanha, captação de recursos e lavagem de dinheiro, enquanto o núcleo político ao ter a campanha financiada dava como retorno a nomeação de funcionários “fantasmas”. Foram identificados pelo menos 20 pessoas recebendo salários sem trabalhar, sendo a maioria da Assembleia Legislativa e cerca de cinco da Câmara de Vereadores da Capital rondoniense. “Esse trabalho é resultado das ações estratégicas da Polícia Civil, com o uso do serviço de inteligência, algo inédito no País, e que por isso foi possível descobrir a atuação dessa quadrilha, a maior e também a mais sofisticada do País”, disse o titular da Sesdec, que fez questão de destacar a participação do TJRO, o que comprova que as investigações foram beseadas em fatos concretos, descaracterizadas de interesses políticos e com foco no combate à corrupção no Estado. “Rondônia não é o Estado que tem mais corrupção no País, mas, o que mais combate”, reforçou Bessa.

Dados da Operação 

Foram emitidos 73 mandados de busca e apreensão; 77 pedidos de prisão preventiva e temporária. Em Rondônia, 42 pessoas foram presas preventivamente, sendo 39 em Porto Velho e três em Guajará-Mirim. Em outros Estados, seis pessoas tiveram sua prisão preventiva cumprida.

Presos preventivos em Porto Velho 

Adriana Argemiro de Macedo

Alessandro Márcio Santos Domingues

Alexsandro Braga Serrão

Ana Cristina Dias Pontes

Andres Fernandes Dias

Antônia de Souza Araújo

Brunno César Pinto

Cláudio Siqueira de Oliveira

Dino César Marcolino

Eduardo Carlos Rodrigues da Silva

Edvaldo Braga da Silva

Elias Barbosa Dias

Elyeudes da Silva de Oliveira

Eulogio Alencar Barroso

Francisco da Silva Rego

Geisa Gomes da Silva

Herbert Lins de Albuquerque

Isaías Alves Pereira Júnior

Jair Figueiredo Monte

James Façanha da Silva

Jamila Quênia de Araújo Silva

Jone Oliveira Andrade

José Luiz de Lima

José Maria de Souza

Lânia das Dores da Silva

Marcelo Reis Louzeiro

Márcio César Silva Gomes

Maria Margarete da Silva

Marilene Carvalho dos Santos Castro

Marinilo Pereira Trindade

Mark Henrique Ferreira Albernaz

Mauro de Oliveira Carvalho

Orlando Braga Dias Júnior

Railton Lima Siqueira

Roberto Rivelino Guedes Coelho

Sidney Costa Lima

Telesmar Lobato

Thales Prudêncio Paulista de Lima

Vagner Silva de Oliveira

Fonte: Assessoria Polícia Civil