Espigão do Oeste introduz peixe da agricultura familiar na merenda escolar




17553545_387423391642950_5881030103842851355_n-620x330Alunos das escolas de Espigão do Oeste, município localizado na região do território da cidadania Rio Machado a 530 km de Porto Velho, terão incluído na merenda escolar produtos a base de peixes, produzidos por agricultores familiares da região.

A capacitação das merendeiras foi realizada por uma ampla parceria que envolveu a prefeitura municipal, o SENAR-AR/RO a câmara municipal, o sindicato rural e a Emater-RO

Para desmistificar e quebrar possíveis preconceitos em relação ao produto, esta semana 80 merendeiras de escolas estaduais e municipais participaram de um treinamento para capacita-las no preparo de receitas com polpa de peixes.

A polpa de peixe é um alimento nutritivo, saboroso, bastante versátil, de fácil preparo e seguro, para adultos e crianças em qualquer idade, pois no seu processo de produção toda e qualquer espinha que houver no peixe é devidamente triturada.

A capacitação das merendeiras foi realizada por uma ampla parceria que envolveu a prefeitura municipal, o Senar, a câmara de vereadores, o sindicato rural e a Emater-RO. Além de capacitar as merendeiras , o curso também teve o objetivo de desmistificar e quebrar qualquer preconceito, que por acaso ainda houvesse, em relação a segurança alimentar das crianças com o uso da polpa de peixes.

Oitenta merendeiras de escolas estaduais e municipais participaram da capacitação para preparo da merenda com polpa de peixes. O Prefeito de Espigão do Oeste, Nilton Caetano, prestigiou o evento e na ocasião destacou a importância da parceria das entidades realizadoras da capacitação, que segundo ele, traz como resultado o incremento nutricional na merenda dos alunos, bem como desenvolvimento local, através do fomento da criação de peixes, das agroindústrias e do comércio.

O presidente da Associação dos piscicultores de Espigão do Oeste /ASPEO, piscicultor Edio Barbosa, também esteve presente na capacitação e declarou que a associação “vem fazendo investimentos em sua estrutura de processamento do pescado para a inclusão na merenda escolar de forma apropriada e segura para o atendimento das normas de segurança alimentar.”

Fonte: Assessoria/Emater