Índio é condenado a 19 anos e 2 meses de reclusão pela morte de madeireiros na Aldeia Indígena Roosevelt




img_1875-copyO Tribunal de Júri de Espigão do oeste esteve reunido na quarta-feira 09, para julgar o Processo nº 0000085-17.2016.8.22.0008, em que o Índio, Jânio Cinta Larga é acusado de ter assassinado e ocultado os cadáveres dos madeireiros, Ozair Silva e Augusto Marcelino na aldeia do setor Roosevelt nas proximidades da Aldeia Tenente Marques em Espigão do Oeste.
O fato ocorreu no dia 08 de dezembro de 2015 e segundo a denúncia, os madeireiros extraiam madeira da reserva e não estavam cumprindo com o compromisso financeiro, sendo portanto advertidos a pararem de extrair madeira. Como não obedeceram a advertência, Jânio teria executado os dois madeireiros e enterrado os cadáveres no meio da mata.
O Tribunal do Júri representado pelos 07 Jurados, entendeu que o Índio não precisava ter cometido o crime e com isso, condenou pelos crimes de homicídio. A pena imputada ao indígena foi de 18 meses de reclusão pelo duplo homicídio e 1 ano e 2 meses de reclusão pela ocultação dos cadáveres. A pena deve ser cumprida em regime fechado. Até o fechamento desta edição, o condenado não havia se manifestado por meio de seu defensor de nenhum recurso de que dispõe.
Na segunda-feira 07, o Tribunal de Júri que esteve reunido para julgar o processo de nº 0000205-60.2016.8.22.0008, condenou Sinésio Santos Souza a 6 anos, 4 meses e 24 dias de reclusão em regime fechado, pelo homicídio contra a vida do então proprietário do condomínio da Rua Amazonas próximo a galeria. Também até o momento não havia recurso da sentença.
Nesta sexta-feira 11, o Tribunal de Júri volta a se reunir para julgar o processo em que acusa, Plácido da Silva pela morte de Valdemar Ventura de Souza, fato ocorrido em 11 de fevereiro de 2016, na Rua Itaporanga 2917 no bairro Caixa D´Água. De acordo com a denúncia, os dois elementos haviam ingerido bebida alcóolica e, em dado momento, Plácido foi tomar banho e ao vestir a roupa deu por falta de uma quantia de R$ 120,00 do bolço de sua calça e acusou a vítima de tê-lo subtraído a quantia, foi a encontrou da vítima com um pedaço de pau e desferiu-se uma paulada na cabeça, Valdemar então tentou correr, mas foi alcançado pelo agressor que acertou mais 03 pauladas em sua cabeça, ocasionando com isso o óbito da vítima.