Mais um homicídio é registrado pela Policia Militar em Espigão do Oeste a vítima foi João Paulo Possimoser




img-20161107-wa0049-copia-2Na manhã deste domingo 06/11 a Policia Militar foi acionada via CIOP, onde  o comunicante informava que na linha Canelinha KM 11, próximo ao campo  dos Cristo na Serraria  do  João  Paulo, havia  acontecido um homicídio. A guarnição de plantão  deslocou-se  até  o referido endereço  chegando  ao local  encontraram  o proprietário  da  serraria caído ao  solo  com sinais  de muita  violência pois  o mesmo apresentava uma perfuração  por  arma de fogo nas  costas  e muitos  cortes de fação pelo corpo, braços, costa e cabeça.

 Segundo  o boletim de ocorrência  de nª 2411/16, uma  testemunha  disse  ao policias  que na manhã  deste  domingo foi  até  a serraria  para  comprar  umas madeiras,  chegando  ao local  encontrou o corpo  do jovem João  Paulo  já  sem  vida caído no meio  do pátio, a mesmo  foi até  a residência  do gerente que dirigiu-se rapidamente  ao local, foi  quando  ao passar pelo  escritório  ouviu  algo  e acharam a esposa da  vítima  trancada  lá  dentro.

 Segundo relatos da testemunha sua esposa, era por  volta  da 20:30hs  quando  os  dois  chegaram ao local,  dois  homens os  abordaram  com  arma de  fogo  em punho foram logo  atirando contra  João Paulo  que  saiu correndo rumo ao pátio da serraria sendo alcançado  a cerca de 70 metros  do escritório  onde  foi  executado com um tiro nas costas e acertado várias vezes com um objeto cortante provavelmente um facão.

O outro infrator trancou  a esposa  da  vítima no banheiro  do escritório onde permaneceu  a noite  toda, a mesma relatou  que segundos  após  ser  presa   ouviu os  tiros cerca  de 6 disparos, disse    ainda que viu os  homens e estavam encapuzados sendo que um deles era alto de  cor morena e não ouviu barulho de veículo saindo  do local.

Após acionada via 190 a polícia chegou  ao local realizando o isolamento acionando  a Perícia  Técnica  onde  foram realizados os  serviços de praxe e  o  corpo liberado para  funerária de plantão. Os agentes  do N.I, “Núcleo de Inteligência  da Policia Militar – EOE” logo  em  seguida saíram as ruas  na busca de informações dos prováveis homicidas para  que  possam dar  uma resposta  rápida  a família e a sociedade em  geral.

 O caso foi registrado na UNISP ficando  sob os  cuidados da  Polícia  Judiciaria  para  que possa  ser tomadas  as medidas cabíveis  ao caso.

Fonte: Evisson/Espigaoalerta